-20%

Força oculta dos protestantes, A - 2ª edição

R$39.20 R$49.00

A força oculta dos protestantes

Ameaça ou oportunidade para a sociedade? Uma análise da contribuição Reformada ao mundo.

2ª edição

André Biéler

 

Os julgamentos feitos sobre o papel dos protestantes na sociedade moderna são contraditórios. Para uns, esse papel é benfazejo, exemplar. Para outros, é detestável, perigoso. Alguns sustentam que ele se encontra na origem das grandes democracias e do desenvolvimento econômico ocidental. Outros julgam que é responsável pelo individualismo destruidor da sociedade contemporânea e inspirador de todos os abusos do capitalismo.

Eis o problema proposto: em que medida o protestantismo é um dos fatores determinantes do desenvolvimento das mentalidades modernas e das sociedades democráticas e industriais contemporâneas?

Noutros termos: o que é, nessas sociedades, herança do protestantismo e o que provém de outras influências?

Esse estudo fundamental de André Biéler ressalta o desafio dessas questões.

Este livro de André Biéler, economista suíço, contém a visão do autor sobre o papel do protestantismo, e especialmente do Calvinismo, no desenvolvimento da sociedade e da economia, neste período que transcorre desde o século 16 até os nossos dias. Mostra quais as heranças protestantes da democracia e da economia moderna e quais os conteúdos resultantes de outras correntes de pensamento, como o Humanismo Renascentista. Acha que os desvios e as desordens sociais e econômicas decorrem, sobretudo, do fato de que, sob a influência daquele pensamento laico, os valores sociais e econômicos se tornaram absolutos, autônomos, supremos. Ele acredita que a Democracia e a Economia devem subordinar-se à Ética para que resultem numa prática de procedimentos que conduzam ao bem dos indivíduos e da sociedade. E para ele a Ética é a Ética Cristã, a que decorre da fé em Cristo.

Antes de Calvino, a Reforma de Lutero já havia organizado a assistência por doença, velhice e invalidez; a fiscalização parcial dos preços contra o monopólio e a especulação; a limitação da jornada do trabalho e a instrução pública obrigatória. Desde o início da Reforma, tem a Igreja clara consciência da situação moral e material em que se acha a população. E caracteriza com transparência que ao lado do redirecionamento espiritual e moral da própria nação, deve-se, por dever cristão autêntico, travar no plano social uma permanente luta, pois a regeneração religiosa será medida pela renovação social conquistada.


André Biéler (1914-2006) foi professor honorário da Universidade de Lausanne. Nela ensinou Ética Social, assim como na Universidade de Genebra. Era licenciado em Teologia e doutor em Ciências Econômicas. Antes de ser chamado para o magistério, exerceu o ministério pastoral. Primeiro, na Igreja Reformada da França (em Chey, próxima de Poitiers), depois em Genebra (Chancy, Capelania Universitária, Malagnou). Escreveu numerosas obras, especialmente O Pensamento Econômico e Social de Calvino, publicado no Brasil pela Cultura Cristã.

Abrir Chat